O adventismo, o uso de joias e maquiagem – Parte II

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Filament.io 0 Flares ×

Olá, tudo joínha? Espero em Deus que sim! No último post sobre esse assunto, fizeram-se 3 questionamentos, logo após a exposição breve da vida de José. Se você ainda não leu a parte I, não seja por isso, você poderá fazê-lo aqui.

Antes, porém, de responder àquelas perguntas, saltaremos para a história do Êxodo. Far-se-á isso apenas por uma questão de dinâmica e porque achamos melhor fazer assim. Você, magnífico leitor (#BajularÉoQueHá), entenderá o porquê desse salto cronológico.

Depois que José se torna governador, muitas coisas acontecem. Uma delas é a mudança da sua parentela, vinda de Canaã, ao Egito. O tempo passa e Jacó morre, José morre, os seus 11 irmãos morrem, enfim, todos morrem de velhice. A descendência de Jacó, entretanto, permanece no Egito, na terra de Gosén (ver Gênesis 46). Outro Faraó assume o trono egípcio e ele, por não conhecer a história de José, escraviza o povo de Jacó, ou povo de Israel (cf. Êxodo 1:6), e manda matar todos os bebês israelitas. O povo passou 400 anos sofrendo no Egito (cf. Atos 7:6) e Deus, finalmente, levanta um homem para tirar o povo de Deus daquele horrível julgo, na qual se encontrava.

josé

Em Êxodo 12, um capítulo muito interessante, diga-se de passagem, narra sobre 3 festas instituídas por Deus e não por Moisés, como alguns pensam. Além das festas, há o relato da última praga e depois sobre a libertação do povo. Vamos, contudo, nos deter nos versos 33-35:

“E os egípcios apertavam ao povo, apressando-se para lançá-los da terra; porque diziam: Todos seremos mortos. E o povo tomou a sua massa, antes que levedasse, e as suas amassadeiras atadas em suas roupas sobre seus ombros. Fizeram, pois, os filhos de Israel conforme à palavra de Moisés, e pediram aos egípcios jóias de prata, e jóias de ouro, e roupas.”

O povo de Israel tirou muitas e muitas riquezas, de modo que o verso 36 explicita isso:

“E o SENHOR deu ao povo graça aos olhos dos egípcios, e estes lhe davam o que pediam; e despojaram aos egípcios.”

Os filhos de Israel saem do Egito cheios da grana (#aCaraDaRiqueza) e vão para o deserto. O seu local de destino é a Terra Prometida (Canaã). Mas, antes, eles dão uma paradinha no Monte Sinai. Depois de acontecer vários episódios, como, por exemplo a abertura do Mar Vermelho, e o povo finalmente chega ao pé do Monte. Moisés sobe o cume, aproximadamente e e fica 40 dias lá, enquanto o povo fica aguardando as coisas se sucederem.

mapa

Umas perguntas: por que e para que o povo levou o ouro, sabendo que eles iam para o deserto? O que se faz com todas essas riquezas num deserto? Êxodo 25 nos responde, mas vamos nos deter nos versos 2, 3 e 8:

“Fala aos filhos de Israel, que Me tragam uma oferta alçada; de todo o homem cujo coração se mover voluntariamente, dele tomareis a Minha oferta alçada. E esta é a oferta alçada que recebereis deles: ouro, e prata, e cobre […] e Me farão um santuário, e Eu habitarei no meio deles.”

Deus contava com essas riquezas para a construção de um Santuário (é aqui também que vemos a doutrina das ofertas, mas falar sobre ofertas requer uma outra oportunidade). O Todo-Poderoso, o Senhor da prata e do ouro (Ageu 2:8), instrui Moisés para a construção do Tabernáculo (o mesmo que Santuário) e de todos os utensílios. Isso explica o motivo de Moisés ter ficado sozinho, por 40 dias, lá no cume do Monte Sinai. Passaremos agora a lista de utensílios/materiais, que Moisés recebeu de Deus, e que você, caro leitor, poderá estudar mais detalhadamente depois, se quiser, é claro (rs):

1- Ofertas para o Santuário (Êxodo 25:1-9)
2- A arca (Êxodo 25:10-22)
3- A mesa dos pães da proposição (Êxodo 25:23-30)
4- O candelabro (Êxodo 25:31-40)
5- As cortinas internas e as tábuas (Êxodo 26:1-37)
6- O altar do holocausto (Êxodo 27:1-8)
7- As cortinas (Êxodo 27:9-19)
8- O azeite para o candelabro (Êxodo 27:20-21)
9- As vestes sacerdotais (Êxodo 28:1-43)
10- O altar de incenso (Êxodo 30:1-10)
11- A pia (Êxodo 30:17-21)
12- O incenso sagrado (Êxodo 30:34-38)
13- Conclusão da obra (Êxodo 39:32-43)

santuario

Seria interessante ler todo o capítulo 28, pois relata a respeito das roupas dos sacerdotes (homens responsáveis pelo serviço do Santuário) e do sumo sacerdote (o “chefe” dos sacerdotes). Essas vestimentas eram muito chiques, tendo uma peça, chamada de “peitoral do juízo”, que eram usada somente pelo sumo sacerdote e era amarrada no tórax dele. Nela continha 12 pedras preciosas, na qual estavam grafados, em cada pedra, os nomes das tribos de Israel. As pedras representavam as 12 tribos de Israel (#RedundânciaÉoQueHá):

“Assim Arão levará os nomes dos filhos de Israel no peitoral do juízo sobre o seu coração, quando entrar no santuário, para memória diante do SENHOR continuamente.”

breastplate1

Poderíamos afirmar que esse peitoral é uma joia, um adorno, ou algo do tipo. Sim ou não? Tem ouro, tem pedras preciosas… Deixa o sumo sacerdote bonito, bem vestido… O cara ficava presença. Isso significa que podemos usufruir de adornos, do tipo, joias, maquiagem, roupas da moda e etc.? Será? Ou isso não tem a mínima importância?

vestes sacerdotais

Se analisarmos o capítulo 28 de Êxodo, percebemos que só o sumo sacerdote que podia usar esse traje. Nem um sacerdote “comum” usava. Não era qualquer pessoa que tinha esses privilégios e tamanha responsabilidade. Ele era um líder no Antigo Israel. Ele representava o povo diante de Deus! Logo, isso não nos dá o direito de usamos algum tipo de adorno extravagante como o do sumo sacerdote. Ele era liberado por Deus para fazer isso, mas não o povo.

Que bonitinho!

Chegando ao fim dos 40 dias, o povo acha que Moisés devia ter morrido, porque ele tinha passado muito tempo no monte. Então, decidiram fazer um deus para que pudessem adorar:

“MAS vendo o povo que Moisés tardava em descer do monte, acercou-se de Arão, e disse-lhe: Levanta-te, faze-nos deuses, que vão adiante de nós; porque quanto a este Moisés, o homem que nos tirou da terra do Egito, não sabemos o que lhe sucedeu. E Arão lhes disse: Arrancai os pendentes de ouro, que estão nas orelhas de vossas mulheres, e de vossos filhos, e de vossas filhas, e trazei-mos. Então, todo o povo arrancou os pendentes de ouro, que estavam nas suas orelhas, e os trouxeram a Arão. E ele os tomou das suas mãos, e trabalhou o ouro com um buril, e fez dele um bezerro de fundição. Então disseram: Este é teu deus, ó Israel, que te tirou da terra do Egito.” (Êxodo 32:1-4).

Hummmmmmm… Eles usaram as joias para construir o bezerro de ouro. Deus fala para Moisés descer o Monte, porque o povo havia se corrompido (Êxodo 32:7). Quando chega ao arraial, vê as danças, o povo nu, fazendo orgia e cultuando um deus em formato de bezerro. Moisés fica furioso e joga as tábuas dos 10 mandamentos no pé do monte (Êxodo 32:19), e ele faz uma pergunta:

“Quem é do SENHOR? Venha a mim. Então, ajuntaram-se a ele todos os filhos de Levi.” (Êxodo 32:26)

Os que não se ajuntaram a Moisés morreram (#climão). Mas os que se arrependeram de seus pecados permaneceram vivos. O capítulo seguinte fala sobre algo de extrema relevância:

“DISSE mais o SENHOR a Moisés: Vai, sobe daqui, tu e o povo que fizeste subir da terra do Egito, à terra que jurei a Abraão, a Isaque, e a Jacó, dizendo: À tua descendência a darei. E enviarei um anjo adiante de ti, e lançarei fora os cananeus, e os amorreus, e os heteus, e os perizeus, e os heveus, e os jebuseus, A uma terra que mana leite e mel; porque Eu não subirei no meio de ti, porquanto és povo de dura cerviz, para que Eu não te consuma no caminho. E, ouvindo o povo esta má notícia, pranteou-se e ninguém pôs sobre si os seus atavios. Porquanto o SENHOR tinha dito a Moisés: Dize aos filhos de Israel: És povo de dura cerviz; se por um momento Eu subir no meio de ti, Eu te consumirei; porém agora tira os teus atavios, para que Eu saiba o que te hei de fazer. Então os filhos de Israel se despojaram dos seus atavios, ao pé do monte Horebe.” (Êxodo 33:1-4)

A palavra “atavio”, no português, tem o mesmo significado de “adorno”, “enfeite”, ou “joias”. A palavra hebraica, que está escrita no original, é “adiy” que significa “ornamento”, ou “adorno”. Perceberam que o povo pecou, mas eles se arrependeram e que, antes de partirem do Monte Sinai à Canaã, eles tiraram os seus adornos? Isso não lembra alguma história que já relatamos? Jacó e Betel? Lembrou-se?

Assim como Jacó fez com a sua família, dizendo que eles deveriam tirar todas as joias e os deuses estranhos do meio deles, assim também o povo de Israel tirou todos os seus adornos e os deuses estranhos para poder ir à Canaã, a terra que Deus havia prometido a Abraão, a Isaque e a Jacó.

A história se repete ou é mera coincidência? Ou será mesmo que o uso de joias ou adornos não tem nada a ver com salvação? Será? Será que a Bíblia é extremista demais ou é o autor desse artigo que está forçando demais a narração bíblica? Alguns poderiam perguntar: mas e José? Ele não usou o colar de ouro? Como fica a situação dele? Ele não foi salvo por Deus? Ele não foi fiel a Deus?

Minha humilde opinião: eu não sei de tudo, assim como você também não sabe. Todavia sei que podemos aprender juntos e comparar algumas histórias bíblicas e tirar lições para as nossas vidas. Meu objetivo é fazer com que reflitamos e que não paremos somente no campo da reflexão, mas que busquemos estudar a Bíblia com mais diligência.

Sobre o caso de José, estudaremos compassadamente. Sem pressa… A Bíblia nos dará a resposta, assim espero. Portanto, no próximo artigo, a parte III, estudaremos o capítulo 39 de Êxodo. Desde já, ore sem cessar. Que Deus te abençoe e te guarde hoje sempre! Amém!