Graça: O que é isso? Uma divina comédia ou um método de salvação?

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Filament.io 0 Flares ×

Olá, meus amigos! “Que a graça de Jesus esteja com vocês.” Quantos já não ouviram uma frase ou algo similar a isso? Ou melhor, quantas vezes ela foi escrita na Bíblia e repetida por nossos pastores, amigos, familiares, etc.? Uma frase comum, simples aos nossos olhos, mas que por detrás dela tem um PODER tremendo, o qual é esquecido e completamente negligenciado.

O presente artigo, tratar-se-á sobre uma conceituação da Graça, analisando sob um novo ASPECTO, o qual é pouco explorado, sem excluir quaisquer outras visões sobre esse assunto. Será que é possível conceituar Graça? Muitos poderiam dizer: “A Graça é um presente dado de Graça por Deus”. Mas que presente é esse? É o Amor? É Jesus? É a Lei? São as obras? É a misericórdia de Deus? O que é?

Vamos à Bíblia descobrir isso, porque a escritora norte-americana Ellen White afirma que “as palavras de Deus são a fonte da vida. Ao buscardes esses vivos mananciais haveis de, mediante o Espírito Santo, ser postos em comunhão com Cristo. Verdades familiares apresentar-se-ão ao vosso espírito sob novo ASPECTO como o clarão de um relâmpago, novas significações cintilarão de textos familiares da Escritura; vereis a relação de outras verdades com a obra da redenção, e sabereis que Cristo vos está guiando; que tendes ao lado um Mestre divino.” MDC, p. 20 [meu grifo].

Com esse pensamento, começemos o nosso artigo com este texto-chave:

“Porque pela GRAÇA sois salvos, por meio da FÉ e isso não vem de vós, é dom de Deus.” (Efésios 2:8)

Apesar de eu gostar mais da área de Humanas, no verso acima, é-nos mostrado uma fórmula matemática muito simples para a Redenção:

Graça + Fé = Salvação.

Logo, podemos dizer que não há como o ser humano ser salvo somente com a Graça (“pois sem Fé é impossível agradar a Deus”) ou ser salvo somente pela Fé (porque não haveria a necessidade da Graça). Se conceituamos Fé como “confiar”, “acreditar”, “aceitar”, etc., qual seria a conceituação da Graça?

Conceitos

Para conceituar a Graça, precisamos entender o que é Conceito e como ele funciona. Para tanto, iremos ao campo da Linguística, analisar esse processo.

Segundo a Dra. Koch, professora de Linguística da Unicamp, em seu livro intitulado Desvendando os segredos do texto (2011), afirma que “conceitos são unidades organizacionais que têm por função armazenar conhecimento sobre o mundo. Trata-se de ‘tijolos’ do sistema cognitivo (Schwarz, 1992: 84) que permitem a estocagem econômica e o tratamento de unidades subjetivas de experiência, por meio da divisão da informação em classes, com base em determinadas características.” (p. 40)

            “O homem tem a necessidade de ordenar o mundo à sua volta, de organizar a variedade difusa de estímulos em objetos particulares invariantes, que, por sua vez, serão distribuídos em classes de membros equivalentes. Assim, identidade e equivalência constituem princípios básicos de categorização do mundo e do saber sobre o mundo.” (idem, p. 40 e 41)

Em outras palavras, já ouviu falar sobre “Sinônimo”? Para conceituar algo é necessário ter uma outra palavra que seja equivalente ao objeto de conceituação. Por exemplo, qual o sinônimo de “bonito”? Você talvez diria “belo”. Qual seria o sinônimo de “procrastinar”? E o sinônimo de “embuste”? Qual o sinônimo de Graça? E se fosse feito a pergunta, no sentido metaliguístico da palavra: “Qual o conceito de bonito?” Você possivelmente diria: “é o mesmo que ‘belo'” ou “algo que não é feio”. Desse modo, além de sinônimos, tem vocábulos que funcionam como Antônimo, garantindo mais ainda a conceituação do objeto: VIDA – MORTE, LONGE – PERTO. “Qual o antônimo de Graça?” E por aí vai… É dessa maneira que os dicionários fazem: conceituam as palavras através de seus sinônimos, antônimos ou características peculiares.

Características da Graça

            “A Graça de Cristo, recebida no coração, subjuga a inimizade; afasta a contenda, e enche o coração de amor.” MDC, p. 27

“Uma transformação de caráter, como a que se vê na vida de João, é sempre resultado da comunhão com Cristo. Pode haver marcados defeitos na vida de um indivíduo; contudo, quando ele se torna um verdadeiro discípulo de Cristo, o poder da divina Graça transforma-o e o santifica.” AA, p 313

“Debilitada e defeituosa, necessitando constantemente ser admoestada e aconselhado, a Igreja é, não obstante, o objeto do supremo cuidado de Cristo. Mediante sua graça, procura influenciar o coração humano, efetuando tal transformação de caráter, que os anjos ficam maravilhados, e expressam seu gozo em cânticos de louvor. Regozijam-se ao pensar que os seres humanos, pecadores e sujeitos a errar, podem ser transformados.” TI, vol. 7, p. 16

Baseado nos textos acima, quais são as características da Graça?

1- É um presente de Deus

2- Enche o coração de amor;

3- Transforma o ser humano;

4- Santifica o homem;

5- Influencia o coração.

Agora, veja este texto de Lucas:

“E crescia Jesus em sabedoria, e em estatura, e em GRAÇA para com Deus e os homens.” (Lucas 2:52)

A Graça cresce? Segundo esse texto, sim. Então, fica assim:

1- É um presente de Deus

2- Enche o coração de amor;

3- Transforma o ser humano;

4- Santifica o homem;

5- Influencia o coração

6- A Graça cresce

Mas vamos analisar o texto de Lucas com mais calma. Ele fala que Jesus crescia em três aspectos: sabedoria, estatura e graça. A sabedoria está ligado ao aspecto MENTAL. A estatura está relacionada com o aspecto FÍSICO. E a Graça?

Leiam, por favor, este texto que é muito importante:

            “Cumpre-nos saber o que precisamos fazer para ser SALVOS. Não devemos, irmãos e irmãs, flutuar com a corrente popular. Nossa obra presente é sair do mundo e ser separados. É esta a única maneira em que podemos andar com Deus, como fez Enoque. Influências divinas estavam sempre cooperando com seus esforços humanos. Somos, como ele, chamados a possuir uma FÉ vigorosa, viva, eficaz, e este é o único meio por que nos é possível ser colaboradores de Deus. Precisamos satisfazer as CONDIÇÕES EXPOSTAS NA PALAVRA DE DEUS, ou MORRER em nossos pecados. Precisamos saber que, MUDANÇAS morais, pela GRAÇA de Cristo, necessitamos fazer em NOSSO CARÁTER, a fim de habilitar-nos para as mansões celestes. Digo-vos, no temor de Deus, que estamos em risco de viver como os judeus – destituídos de amor de Deus, e IGNORANTES de Seu poder, enquanto a brilhante luz da verdade resplandece em todo o nosso redor.” TS 2, p. 207

Com essas características, você já conseguiu conceituar Graça? Não?! Seguindo a linha de raciocínio do texto acima, temos uma fórmula:

Graça => Transformação do nosso caráter => Salvação (Vida Eterna)

E se fizermos uma fórmula antagônica a essa? Temos:

Desgraça => Morrer em nossos pecados => Perdição (Destruição = Oseias 4:6)

“O meu povo foi destruído, porque lhe faltou o conhecimento; porque tu rejeitaste o conhecimento, também eu te rejeitarei, para que não sejas sacerdote diante de mim; e, visto que te esqueceste da lei do teu Deus, também eu me esquecerei de teus filhos.” (Oseias 4:6)

Qual é o antônimo de Graça? Desgraça. E o que é o desgraça, segundo o livro de Oseias? Falta de CONHECIMENTO. Logo, a Graça é?

“Porque eu quero a misericórdia, e não o sacrifício; e o conhecimento de Deus, mais do que os holocaustos.” (Oseias 6:6)

“O boi conhece o seu possuidor, e o jumento a manjedoura do seu dono; mas Israel não tem conhecimento, o meu povo não entende.” (Isaías 1:3)

“O que possui o conhecimento guarda as suas palavras, e o homem de entendimento é de precioso espírito.” (Provérbios 17:27)

“Aplica o teu coração à instrução e os teus ouvidos às palavras do conhecimento.” (Provérbios 23:12)

“Há ouro e abundância de rubis, mas os lábios do conhecimento são joias preciosas. (Provérbios 20:15)

“Conhecimento secular é poder; mas o CONHECIMENTO da Palavra que exerce uma INFLUÊNCIA TRANSFORMADORA sobre o espírito humano, é imperecível. É conhecimento SANTIFICADO. É vida e paz e alegria para sempre. Quanto maior o CONHECIMENTO que os homens tiverem, inteiramente SANTIFICADOS a Deus, tanto mais apreciarão o valor de Jesus Cristo.” – The Review and Herald, 27 de novembro de 1900.

Se a Graça tem o poder de influenciar, transformar e santificar o ser humano pecador, segundo o texto acima, o conhecimento da Palavra de Deus faz isso também. Com isso, pode-se dizer que a Graça significa Conhecimento da Palavra de Deus. Temos, então:

Conhecimento de Deus => Transformação do nosso caráter => Salvação

Falta de conhecimento => Morrer em nossos pecados => Perdição

O famoso escritor brasileiro, Monteiro Lobato enfatizou a importância do estudo no Brasil, ao dizer que “um país é feito de livros e homens”. Já para o político romano, Caio Graco, afirma que “O livro não muda o mundo. O livro muda as pessoas. As pessoas mudam o mundo.” De igual modo, a Graça de Deus nos molda, segundo Sua Imagem.

Salvação é o mesmo que Vida Eterna, certo?

E a VIDA ETERNA é esta: que Te CONHEÇAM [Conhecimento] a Ti só, por único Deus verdadeiro, e a Jesus Cristo, a quem enviaste. (João 17:3)

“Examinais as Escrituras, porque vós cuidais ter nelas a vida eterna, e são elas que de mim testificam; ” (João 5:39)

A palavra Graça, em grego, é χάρις que pode significar: graça (relacionado a gratuidade), misericórdia divina, poder para obedecer ou conhecimento divino.

“O conhecimento de Deus e de Cristo é verdadeiramente essencial à salvação. Perdemos muito cada dia em que não aprendemos mais da mansidão e humildade de Cristo. Os que aprendem de Cristo obtêm a mais elevada espécie de educação. Mediante a fé e confiança na graça salvadora de Cristo, aumentam em conhecimento e sabedoria. Eles amam e louvam o Salvador.” Este dia com Deus, p. 138

Somente o Conhecimento de Deus pode salvar o pecador?

Absolutamente não, porque até os demônios CONHECEM a Deus e estremecem (Tiago 2:19). E como harmonizar isso?

“Até que todos cheguemos á unidade da FÉ, e ao CONHECIMENTO do Filho de Deus, a homem perfeito, à medida da maturidade completa de Cristo.” Efésios 4:13

“O conhecimento de Deus como revelado em Cristo é o conhecimento que precisam ter todos os salvos. É o conhecimento que atua a transformação do caráter. Recebido na vida, criará de novo o ser à imagem de Cristo. É o conhecimento além do qual tudo é vaidade e nulidade, e o qual Deus convida Seus filhos a receber.” AA, p. 266

Ter Fé de que o Conhecimento de Deus pode transformar pecadores indignos em filhos de Deus, é o que Jesus quer. A Fé é essencial, pois ela é ligada às Obras. Cristo anseia em nos transformar, por meio de Seu Santo Espírito. Basta que CONHEÇAMOS a Sua vontade, exposta em Sua Palavra.

“Porque pela Graça, sois salvos, por meio da Fé; e isso não vem de vós, é dom de Deus.” Efésios 2:8

“Porque tudo isto é por amor de vós, para que a graça, multiplicada por meio de muitos, faça abundar a ação de graças para glória de Deus. ” 2 Coríntios 4:15

“Graça e paz vos sejam multiplicadas, pelo conhecimento de Deus, e de Jesus nosso Senhor; ” 2 Pedro 1:2

“Segui a paz com todos, e a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor; Tendo cuidado de que ninguém se prive da graça de Deus, e de que nenhuma raiz de amargura, brotando, vos perturbe, e por ela muitos se contaminem.” Hebreus 12:14 e 15

Se nós, da Igreja Adventista do Sétimo Dia, estivéssemos mais apegados à Bíblia, não haveria tantos problemas quanto à ordenação feminina, à música, ao vestuário, à recreação, à alimentação, etc.. É por negligenciar a Graça que a Igreja, atualmente, está morna. Mas que a Graça de Deus cresça em nós, através de Suas Escrituras. Jamais deixemos de estudar a Bíblia para que o inimigo de nossas almas não consiga enganar os escolhidos de Deus. Até a próxima, meus amigos. Abraço!

“Quanto mais conhecermos a Deus, tanto mais elevado será nosso ideal de caráter, e mais veemente o nosso anseio de Lhe refletir a imagem.” MDC, p. 19

  • Rebeca

    Oi,
    Excelente ponto de vista sobre o conceito de graça. Algo, no entanto, chamou-me a atenção: A ideia de que a graça cresce. Supondo-se que a Graça = conhecimento de Cristo, e, que Cristo é o princípio e o fim, o alfa e o ômega, como eu posso estabelecer um padrão de crescimento para algo incomparável? Todos os atributos que foram citados da graça envolvem um processo de transformação e de mudança o ”eu”. Não seria, então, mais correto dizer que sou ”Eu que cresço na Graça de Cristo”? A Graça está. Absoluta e sem comparação, sem pressupostos. E seguindo a lógica matemática -> Graça=Conhecimento, mas, nem todo conhecimento é Graça. ”A minha Graça te basta”. Parabéns pelo blog, que Deus vos abençoe. 🙂

    • giovannabonilha

      “O presente artigo, tratar-se-á sobre uma conceituação da Graça, analisando sob um novo ASPECTO, o qual é pouco explorado, sem excluir quaisquer outras visões sobre esse assunto.”
      “A palavra Graça, em grego, é χάρις que pode significar: graça (relacionado a gratuidade), misericórdia divina, poder para obedecer ou conhecimento divino.”

  • Jesus não nasceu sabendo de tudo. Maria ensinava o Menino. Por isso, Jesus crescia no Conhecimento de Deus também.