Capítulo de Hoje: Êxodo 33

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 Filament.io 0 Flares ×

Boa sexta-feira a todos! Espero que tenham passado bem a noite! Vamos continuar a leitura e reflexão da Bíblia? Então vamos lá!

Deus ordena a Moisés e ao povo que ambos devem partir. Ir para a terra que Deus tinha prometido à Abraão. Deus foi fiel em tudo o que prometera, embora o povo tivesse cometido tamanho pecado (ver Ex 32). Muito embora Deus não force a Sua presença conosco. Por misericórdia, Ele nos dá espaço para tomarmos nossas próprias decisões.

Este distanciamento que Deus ordenou gerou no povo um sentimento de tristeza profunda. O gesto que foi gerado foi de retirar todos os “atavios”. Os homens, provavelmente, estavam usando pulseiras, braceletes e tornozeleiras. Estas últimas eram usadas pelos egípcios. Apesar da promessa de que “um anjo” seguiria à frente, o povo não sentia-se seguro. Porém Deus respondeu ao clamor de Israel. O arrependimento é um processo de reflexão. O tempo era necessário para criar no coração de cada indivíduo vida e condutas santas. Este abandono de adornos era, momentaneamente, um sinal do povo de sincero propósito de obediência a Deus.

Deus encontrava-Se com Moisés frequentemente. Moisés era um homem extremamente consagrado, e com profunda comunhão com Deus. Esta não era a atitude do povo. E como Deus frequentemente se encontrava para conversar com Moisés em forma visível, uma forma de proteção para o povo era armar a sua tenda longe do arraial dos israelitas. Era uma demonstração da distância que existia entre o povo e Deus. Caso os homens tivessem consagração igual à de Moisés, sua tenda poderia estar próxima do povo. Este lugar, provisoriamente, acabou sendo um ponto de encontro de pessoas sinceramente arrependidas, que buscavam a misericórdia de Deus. A coluna de nuvem sempre era observada atentamente pelo povo remanescente, e era uma evidência da proteção e direção de Deus.

Moisés e Deus possuíam uma amizade forte, profunda, genuína e respeitosa. Mostrando que podemos ter o mesmo tipo de amizade. Ambos eram íntimos, e, apesar da diferença abismal entre Criador e criatura, Moisés tinha uma relação de verdadeira amizade e sinceridade para com Deus. E Deus, por Sua vez, demonstrava Seu amor. E este amor a Moisés era estendido para todo o povo, pois, apesar dos pecados cometidos, eram um povo santo (Lv 20:26). Essa era a diferença entre o povo de Israel e os demais povos.

Deus atendeu o que Moisés pediu. A fervorosa petição de Moisés tinha justiça como companhia e, este tipo de oração, tem poder (Tg 5:16). Orações perseverantes, principalmente em favor de outras pessoas, é demonstração de fé para Deus. O pedido de Moisés, para que Deus mostrasse a Sua glória, não era um mero exibicionismo de Moisés. Moisés sentia que necessitava fortalecer ainda mais a tarefa que tinha que executar para Deus. Diferentemente de Adão, que fugiu da presença do Senhor, Moisés fez exatamente o contrário: queria evidências maiores de um Deus vivo, que o guiava. E Deus atendeu ao pedido humilde.

Deus sempre está disponível para que possamos nos relacionar com Ele. Basta que nos acheguemos com humildade, e, confessando nossos pecados, busquemos uma vida transformada, não apenas melhorada.

Deus nos ama, é nosso Pai, amigo, e sempre nos ouvirá. Converse com Deus diariamente. Busque a Sua presença. E continue ouvindo a voz de Deus pela leitura da Sua santa Palavra.

André Almeida