O Jovem Adventista e o Cinema (Parte 2) – Alguns princípios bíblicos

Parte 1 AQUI

Confesso que demorei bastante tempo até decidir expor tão publicamente assim meus pensamento e reflexões sobre o cinema. Não pensem que é fácil para mim, vir aqui e me colocar contra uma espécie de divertimento que durante muitos anos fez parte da minha vida e tomou boa parte do meu tempo. Mas, graças ao conhecimento de Cristo e ação do Espírito Santo em mim pude parar de fazer minha própria vontade e me propus de uma vez por todas a tentar seguir os caminhos de Deus. Também não pensem que foi fácil. Não foi, não é e, talvez, por um bom tempo não seja. Talvez nunca seja. Não foi de uma hora para a outra que parei de ir. Foi preciso muito estudo, muita oração, estudo, mais oração, e por fim fui convencida de que estava errada. Ninguém me convenceu e sim o Espírito. Agora antes de expor meus argumentos (e talvez os de Deus) é preciso que eu conte como isso se deu.

Sinceramente, nunca aceitei o que os pastores e líderes diziam sobre o cinema. Eles falavam sobre a influência dos filmes sobre a mente, que o inconsciente fica susceptível às propagandas, as tão faladas mensagens subliminares, e tantos outros argumentos que talvez vocês também já estejam cansados de ouvir. E creiam-me, eu ouvi e assisti bastante palestras sobre isso. E apesar de tudo isso ser verdade (acessem os links abaixo para saber mais a respeito) eu pensava: “Bom eu nunca matei, roubei, me prostituí, usei drogas e outras substâncias nocivas, nunca traí, e nem fiz nada do que a maioria dos filmes sugere. Logo, não tem problema eu ir ao cinema já que os filmes não exercem poder sobre mim.” E como a maioria dos argumentos contra têm como base a escolha dos filmes eu não via o menor problema em assistir aos bons com direito a som potente, uma mega tela, ar-condicionado, cadeiras confortáveis (nem sempre é verdade) e tudo isso pelo valor de uma meia-entrada.

Continuar lendo

O Jovem Adventista e o Cinema (Parte 1) – Filmes Bíblicos baseados ou “baseados”?

Você já deve ter percebido a onda crescente de filmes baseados em histórias bíblicas ultimamente. Inclusive há quem diga que são filmes produzidos especialmente para os cristãos e que nos ajudam a vivenciar com maior realidade os fatos das histórias bíblicas. Mas será mesmo que nós, jovens adventistas, devemos recorrer a esse tipo de entretenimento para buscar maior conhecimento da Palavra de Deus? Ou assistimos apenas porque de todas as opções essa é a menos pior (dos males o menor alguém diria)? O texto de hoje tem como objetivo alertar nossos jovens para erro que talvez tenham cometido ao condescender com essas atitudes.  Desde já aviso que estamos abertos para um debate sadio sobre o assunto. Deixe seu comentário e sua opinião ao final do texto e boa leitura =)

Continuar lendo

DIVERGENTE. Não é coisa de ficção. Você também pode ser um cristão assim.

Vamos lá. Muito tem sido falado e comentado sobre a nova trilogia queridinha dos adolescentes (e até alguns adultos também) – Divergente. Tris é uma garota de 16 anos que vive em sociedade dividida por facções. Para uma pessoa fazer parte definitivamente de uma dessas facções ela precisava passar pelo teste de aptidão. Ali são realizadas simulações que definem para qual facção aquela pessoa é mais apta para morar, sendo que o normal é a pessoa ter aptidão para apenas uma facção.
Ao fazer seu teste Tris descobre ser uma Divergente, pois se mostrava apta para mais de uma facção, ou seja, suas ações não concordavam com o que a simulação aparentemente queria mostrar (além do fato de poder controlar as simulações com que eram feitos os testes…rs).

Continuar lendo