Criados para as boas obras

Conheci o meu esposo pela internet, através do finado Orkut. Morávamos há cerca de 1.500km de distância, e começamos a namorar quando ainda tudo o que tínhamos era o contato virtual. Naquela época não havia Whatsaap, e nem mesmo uma série de facilidades que possuímos hoje. O fato é que comprávamos créditos nas promoções que surgiam, e assim ele me enviava dezenas de mensagens de celular por dia. Para me pedir em namoro, ele precisou utilizar 3 telefones públicos diferentes [é, a situação não era tão cômoda como hoje, {risos}, mas esta história fica para outro dia]. Depois, ele deixou família e amigos em sua terra natal para morar em minha cidade. Mudou-se para lá com apenas uma mochila nas costas, deixando para trás o que tinha de bens materiais também. Somos casados a pouco mais de 7 anos, e este ano completaremos 10 anos de namoro. Em todos estes anos, ele nunca me deu flores. Este ano, nasceu o Ben, nosso filhinho (de quem ele já falou aqui, há algumas semanas atrás). Por algumas vezes, após o almoço ou no meio da manhã, ouvi Marquinhos me dizer “meu bem, vá dormir que eu cuido dele”. Continuar lendo

A Pressa é Inimiga da Conversão

Um fato contemporâneo amplamente divulgado em diversas redes sociais de adventistas, é que vemos cada vez mais pastores, missionários, obreiros, evangelistas, entre outros do gênero, disputarem praticamente no tapa o batismo de pessoas para as suas respectivas igrejas. Alguns postam ‘selfies’ mostrando auditórios lotados de “ovelhas que voltaram ao redil”, outros postam vídeos desses mesmos fiéis, falando em uníssono, que “são de Jesus”, e ninguém tasca. Recentemente, testemunhei alguns pastores, cantores “oficiais” da igreja (seja lá o que isso for) comemorarem mais de 40 batismos em determinada localidade. “Aham, Cláudia. Senta lá…”. Vamos com calma. Continuar lendo

O megafone

O megafone é um aparelho que amplia o som. Uma pessoa pode ser ouvida por outra, mesmo que estejam muito distantes, porque esse objeto projeta as ondas sonoras em uma direção específica. Com essa definição, pode-se comparar na forma que Deus Se direciona a nós, a fim de ter uma comunicação com Seu povo. No tempo do povo de Israel, Ele usava o megafone chamado de profeta, para que fosse ampliado a Sua vontade para os homens. Esses megafones não falavam por si mesmos, mas transmitiam a mensagem de Deus. Continuar lendo

A corda

Todo mundo sabe o que é uma corda. Mas, ao pensar no que escrever, resolvi ler no dicionário a definição desse objeto, pois gosto muito de ver os significados das palavras. Segundo o Dicionário Online de Português corda é “um conjunto de fios torcidos juntos que formam uma peça resistente de aplicação variada.” Posso dizer que um fio sozinho não é uma corda, tão pouco garante resistência, porém um conjunto de fios podem ser usados para inúmeras coisas. Continuar lendo

Capítulo de Hoje: Êxodo 33

Boa sexta-feira a todos! Espero que tenham passado bem a noite! Vamos continuar a leitura e reflexão da Bíblia? Então vamos lá!

Deus ordena a Moisés e ao povo que ambos devem partir. Ir para a terra que Deus tinha prometido à Abraão. Deus foi fiel em tudo o que prometera, embora o povo tivesse cometido tamanho pecado (ver Ex 32). Muito embora Deus não force a Sua presença conosco. Por misericórdia, Ele nos dá espaço para tomarmos nossas próprias decisões.

Continuar lendo

Adoradores… de verdade

Adoração tem se tornado um tema muito polêmico.

Aliás, polêmico, controverso e, muitas vezes, evitado talvez sejam adjetivos mais abrangentes para caracterizar esse assunto. Mas isso não deveria ser uma grande surpresa para os adventistas, pois sabe-se que a adoração encontra-se no centro do grande conflito pelo qual passamos. O que torna-se surpreendente, pelo menos para mim, é que tal conceito tenha sido tão relativizado entre nosso povo, e até banalizado por alguns.

Para uns, adoração é bater palmas, levantar as mãos (em oração para alcançar o trono e lá lá lá, #QuemLêEntenda), expressar fisionomias  de choro ou de dor, repetir várias e várias vezes a mesma frase, pular (transe!?), etc. Para outros, adorar é apenas ir à igreja no Sábado pela manhã, entregar os dízimos (ofertas pra quê né!?), participar de todo o ritual litúrgico, e pronto! Não precisa fazer mais nada. No entanto, o que faz haver essa grande diferença de ideias é que, para a grande maioria, o que importa mesmo são o coração e a sinceridade do adorador, logo, formas e formalidade são dispensáveis e relativas.

Mas, será que deveria ser mesmo assim? Será que apenas a sinceridade do coração humano basta como senso de certo e errado no quesito adoração?
Continuar lendo

O adventismo, o uso de joias e maquiagem – Parte II

Olá, tudo joínha? Espero em Deus que sim! No último post sobre esse assunto, fizeram-se 3 questionamentos, logo após a exposição breve da vida de José. Se você ainda não leu a parte I, não seja por isso, você poderá fazê-lo aqui.

Antes, porém, de responder àquelas perguntas, saltaremos para a história do Êxodo. Far-se-á isso apenas por uma questão de dinâmica e porque achamos melhor fazer assim. Você, magnífico leitor (#BajularÉoQueHá), entenderá o porquê desse salto cronológico.
Continuar lendo

GOSTO É GOSTO, CADA UM TEM O SEU. OU SERÁ QUE NÃO? (Uma perspectiva cristã adventista sobre a unidade cristã, Parte 1)

Todos algum dia já ouvimos aquela famosa frase “Gosto não se discute, se lamenta”. Inclusive alguns de nós até mesmo já se utilizaram da mesma para encerrar algum debate caloroso em que não se quer dar o braço a torcer. Mas será que para nós, jovens adventistas, essa frase é realmente válida? Leia nossa reflexão sobre o assunto e descubra se o seu gosto pessoal tem estado acima do gosto de Deus. Boa Leitura! 😉

Vive-se atualmente uma época de relativismos. Nem mesmo mais os valores morais são absolutos. Cada aspecto de alguma coisa em debate muda dependendo da sua cultura, idade, local em que se mora, nível de instrução, etc. Quando se fala em gostos e opiniões aí é que a coisa se complica mesmo. Cada um tem sua preferência em músicas, roupas, livros, filmes. Uns gostam de rock, outros bossa nova, outros preferem trajes da moda, e outros um estilo mais conservador.

Continuar lendo

Cristão e Política, tudo certinho?

Eu havia pensado comigo mesmo que não me manifestaria quanto ao assunto porque é extremamente complicado. Talvez tão complexo quanto outros textos polêmicos que eu tenha feito, ou até mais. É com pesar, todavia, que alguns episódios me chamaram a atenção ao ponto de eu querer comentar alguns princípios e advertências para o evento que teremos domingo agora.

Como começo a maioria de meus textos, já quero avisar que minha intenção não é IMPOR nada, quem sou eu para servir de consciência política para tantas pessoas de calibre intelectual invejável? No entanto, alguns anos convivendo em simulações das Nações Unidas e no meio acadêmico de direito (ainda que eu curse medicina), trouxeram-me questionamentos que gostaria de dividir com vocês.