Resposta a Leandro Quadros sobre o sétimo mandamento

 

Recentemente, o professor Leandro Quadros publicou um vídeo (você pode assisti-lo ao final do texto) em que faz algumas afirmações bem fortes. Tais afirmações não devem ser compartilhadas desavisadamente sem uma séria análise de seu enunciado. E é isso que pretendemos fazer aqui.

O presente texto não tem como objetivo o julgamento das intenções do jornalista, mas sim estimular o senso crítico, o espírito bereiano em nossos leitores bem como dialogar e discutir ideias contraditórias.

Ainda que vejamos problemas na resposta de Leandro Quadros, não iremos focar no assunto principal do vídeo. Há duas boas razões para isso, (1) pretendemos futuramente, de maneira mais específica, analisar a questão de transporte público aos sábados em outro texto e (2) julgamos que o complemento da resposta do professor Leandro Quadros, aquele que levanta a questão do cumprimento do sétimo mandamento, tenha sido o principal ponto de dissonância entre nosso pensamento e o dele.

Vejamos, então, a fala do professor. Continuar lendo

Para quê serve o sal? (comentário sobre a lição da escola sabatina)

O tema da lição desta semana é bem pertinente à era eclesiástica que estamos inseridos e vivenciando. As religiões, há séculos, fazem obras de caridade. Budismo e Espiritismo são os melhores em assistencialismo social. O que difere as religiões, se no fim das contas, o importante é o amor ao próximo? Ghandi estaria certo em não compactuar com o Cristianismo? O que nos difere das demais religiões e denominações cristãs judaicas? Continuar lendo

Criados para as boas obras

Conheci o meu esposo pela internet, através do finado Orkut. Morávamos há cerca de 1.500km de distância, e começamos a namorar quando ainda tudo o que tínhamos era o contato virtual. Naquela época não havia Whatsaap, e nem mesmo uma série de facilidades que possuímos hoje. O fato é que comprávamos créditos nas promoções que surgiam, e assim ele me enviava dezenas de mensagens de celular por dia. Para me pedir em namoro, ele precisou utilizar 3 telefones públicos diferentes [é, a situação não era tão cômoda como hoje, {risos}, mas esta história fica para outro dia]. Depois, ele deixou família e amigos em sua terra natal para morar em minha cidade. Mudou-se para lá com apenas uma mochila nas costas, deixando para trás o que tinha de bens materiais também. Somos casados a pouco mais de 7 anos, e este ano completaremos 10 anos de namoro. Em todos estes anos, ele nunca me deu flores. Este ano, nasceu o Ben, nosso filhinho (de quem ele já falou aqui, há algumas semanas atrás). Por algumas vezes, após o almoço ou no meio da manhã, ouvi Marquinhos me dizer “meu bem, vá dormir que eu cuido dele”. Continuar lendo

Anel de casamento: uma pergunta e um apelo

                                                             pedido-de-casamento-o-que-dizer
A surpresa montada, talvez em um ato público ou privado, a família feliz, os amigos/cupidos com o sentimento de missão cumprida e Deus vendo seu plano original sendo realizado.

“Quer casar comigo?”. Essa frase revoluciona a vida de um casal. O rapaz ajoelhado aos pés da noiva em potencial, o coração acelerado da bela moça e a expectativa da resposta quase que óbvia ao pedido inusitado: Sim! (Na maioria dos casos)

Todos comemoram, o momento geralmente é selado por um beijo, felicidade transborda aos corações, finalmente o processo de autoexame chamado namoro teoricamente termina e dá espaço a um nível diferente, o noivado. Agora estamos na reta final para um suposto casamento que será ricamente abençoado por Deus.

Ah, espera, estou esquecendo um pequeno detalhe, literalmente pequeno.

Continuar lendo

Argumentos a favor da ordenação de pastoras

Depois de vários comentários que chegaram ao último texto sobre o assunto, decidi fazer um texto que explicasse e comentasse dúvidas e argumentos a favor da ordenação de pastoras. Se você não viu a parte 1, clique aqui

Alguns esclarecimentos prévios:

  1. Pensei que tivesse ficado claro que o ponto da ordenação feminina a ser discutido fosse no quesito pastoral, tanto é que foi delimitado o assunto quando se mencionou “Eis o principal argumento que vejo contra a ordenação feminina ao pastorado”. As imagens também foram escolhidas para esclarecer isso. Se ainda persiste alguma dúvida, esclareço agora que minha intenção no título foi dizer que a ordenação de pastoras não tem apoio bíblico, não fui contra ordenar mulheres que atuem na atmosfera que a Igreja adventista já considera e que tem respaldo Bíblico (diaconisas, por exemplo).
  2. Nós não postaremos comentários desrespeitosos que chegarem para nossa moderação, se o comentário foi respeitoso, ainda que discordante do artigo, ele será postado.
  3. Nós temos ciência de que o voto na Conferência Geral vai levar a possibilidade de que cada divisão decida se ordenará pastoras ou não, mas o pano de fundo da discussão é de teor exegético, cultural, teológico e com certeza envolve permitir ou não que pastoras sejam ordenadas (o fato de a China ou a Divisão Norte Americana já ordenar pastoras não quer dizer que a IASD mundial as reconhecesse oficialmente).
  4. A repercussão do artigo foi boa ao ponto de que talvez em breve tenhamos uma parte III.

Continuar lendo