Quando Ele muda de opinião

Quem você procura quando quer um conselho? Talvez a resposta desta pergunta dependa da situação, no entanto, numa boa parte dos casos, nós buscamos conselhos de pessoas que concordam conosco. Não?

Infelizmente, o ser humano confunde um conselheiro com um confessionário. Ambos vão te ouvir, mas o bom conselheiro é aquele que não necessariamente vai concordar sempre com você, na verdade, o melhor conselheiro é aquele que não vai esconder a verdade mesmo que ela seja difícil de ouvir. Continuar lendo

O megafone

O megafone é um aparelho que amplia o som. Uma pessoa pode ser ouvida por outra, mesmo que estejam muito distantes, porque esse objeto projeta as ondas sonoras em uma direção específica. Com essa definição, pode-se comparar na forma que Deus Se direciona a nós, a fim de ter uma comunicação com Seu povo. No tempo do povo de Israel, Ele usava o megafone chamado de profeta, para que fosse ampliado a Sua vontade para os homens. Esses megafones não falavam por si mesmos, mas transmitiam a mensagem de Deus. Continuar lendo

Capítulo de hoje: Levítico 8

 

No capítulo 8 de Levítico, temos o chamado para a família de Arão assumir o sacerdócio. O primeiro requisito era comprovar que era realmente descendente de Arão. O segundo requisito era integridade física. Ninguém com deformidade ou ferimentos poderia se aproximar do altar ou até mesmo de entrar no santuário. Os sacerdotes também não poderiam ter hábitos nocivos, como bebida forte e vinho. Continuar lendo

Capítulo de hoje: Levítico 6

Neste capítulo, continuamos a entender as leis de convívio entre os israelitas. Nesta parte, temos as ordenanças relativas às pessoas que cometeram injustiças com outras pessoas, a saber: desonestidades em parcerias em negócios, roubos, extorsão, entre outros. Para todos estes casos, Deus não deixa impune a pessoa que cometeu estes atos, mas não no sentido apenas “punitivo”. Era no sentido de salvar ambas as partes! Mas também restituir com justiça àquele que foi prejudicado. Continuar lendo

A corda

Todo mundo sabe o que é uma corda. Mas, ao pensar no que escrever, resolvi ler no dicionário a definição desse objeto, pois gosto muito de ver os significados das palavras. Segundo o Dicionário Online de Português corda é “um conjunto de fios torcidos juntos que formam uma peça resistente de aplicação variada.” Posso dizer que um fio sozinho não é uma corda, tão pouco garante resistência, porém um conjunto de fios podem ser usados para inúmeras coisas. Continuar lendo

Capítulo de hoje: Levítico 4

 

Olá, tudo bem? Como vai a leitura da Bíblia? Espero que estejam gostando tanto quanto eu! Continuando a leitura sequencial, vemos no capítulo 4 de Levítico os ritos para algumas situações, um tanto, inusitadas.

No versículo 2, fala sobre “pecados de ignorância”, ou seja, inadvertidamente, sem pensar, de forma descuidada. O pecado não deixa de ser pecado nestas ocasiões, de modo que precisava de arrependimento da mesma maneira. Como dito pela Bíblia, o pecado é um desvio de um padrão estabelecido. É não alcançar o alvo. Também significa desobediência. Em todos esses casos, o capítulo enfatiza a necessidade de expiação deste pecado, tido, “por ignorância”. De fato, aquele que recebeu maior luz, ou seja, tem mais conhecimento daquilo que faz, também possui maior responsabilidade daquilo que realiza de certo ou de errado. Então as suas consequências são mais pesadas, certamente.

Continuar lendo

Capítulo de hoje: Levítico 3

 

No capítulo de hoje, temos a descrição do significado de “oferta pacífica”. Não necessariamente significava uma oferta de holocausto para uma época de guerras. O termo em hebraico shelem vem da raiz hebraica que significa fazer paz (Js 10:4). Nesta oferta, havia uma refeição partilhada na área do santuário, onde era celebrada com alegria e regozijo, e os sacerdotes e o povo trocavam palavras afáveis e de amizade. Era precedida por uma oferta pelo pecado e uma oferta queimada. Continuar lendo

Capítulo de hoje: Levítico 2

 

Neste capítulo, temos o tratamento com ofertas de cereais, que a Bíblia nomeia como “oferta de manjares”. O hebraico desta oferta se chama minhah, que originalmente representava um presente dado a um superior. Esse termo já tinha sido utilizado nas situações entre Esaú e Jacó (Gn 32:13) e também entre os irmãos de José quando foram presenteá-lo (Gn 43:11). Quando Israel estava deixando o Egito, o significado era de uma oferenda de homenagem a Deus.

Assim como havia ofertas queimadas públicas e particulares, também existia oferta de manjares da mesma forma. Dentre as ofertas de manjares públicas, o pão da proposição era a principal. A cada sábado era posto na mesa, no primeiro compartimento do santuário. A oferta do pão era elaborada com 12 bolos, feitos cada um com 2,4 kg de farinha. Estes eram colocados em 2 pilhas, com 6 pães cada uma.

Continuar lendo