Escolhidos

 

As epístolas de Pedro possuem um significado todo especial para nós que vivemos no tempo do fim (1 Pedro 1:5). Suas epístolas assumem um tom pastoral, de acordo com a ordem recebida de Cristo (João 21:15). Nelas encontramos conselhos sobre casamento, modéstia, deveres para com as autoridades civis, estilo de vida, conselhos aos jovens… Enfim, como um pastor deve cuidar de cada área vital de sua igreja, assim Pedro admoestou e aconselhou o corpo de crentes espalhados pela Ásia Menor.

O apóstolo inicia sua segunda carta afirmando que os seus leitores eram eleitos. A palavra “eleito” vem do grego ekletoi, literalmente, “os escolhidos”. Sobre isso, Cristo fez uma distinção em Mateus 22:14, vejamos: Continuar lendo

Para quê serve o sal? (comentário sobre a lição da escola sabatina)

O tema da lição desta semana é bem pertinente à era eclesiástica que estamos inseridos e vivenciando. As religiões, há séculos, fazem obras de caridade. Budismo e Espiritismo são os melhores em assistencialismo social. O que difere as religiões, se no fim das contas, o importante é o amor ao próximo? Ghandi estaria certo em não compactuar com o Cristianismo? O que nos difere das demais religiões e denominações cristãs judaicas? Continuar lendo

Contagem regressiva!

O ministério de Cristo estava chegando ao fim. A última semana estava agora perante Ele. Finalmente, a semente prometida havia chegado, o Rei viera ao seu reino. Porém, ainda que há mais de quinhentos anos antes desse acontecimento o profeta Zacarias já houvesse profetizado esse momento, os líderes judeus e o povo esperavam um messias diferente do qual lhes fora dado, haviam perdido de vista o verdadeiro significado das profecias messiânicas; e cegados pelo orgulho farisaico, pela maldade e inveja não puderam discernir a verdade e esperaram um salvador criado a semelhança de suas imaginações.

Vamos ler o que o profeta disse e comparar com os últimos eventos dessa semana:

Continuar lendo

Anel de casamento: uma pergunta e um apelo

                                                             pedido-de-casamento-o-que-dizer
A surpresa montada, talvez em um ato público ou privado, a família feliz, os amigos/cupidos com o sentimento de missão cumprida e Deus vendo seu plano original sendo realizado.

“Quer casar comigo?”. Essa frase revoluciona a vida de um casal. O rapaz ajoelhado aos pés da noiva em potencial, o coração acelerado da bela moça e a expectativa da resposta quase que óbvia ao pedido inusitado: Sim! (Na maioria dos casos)

Todos comemoram, o momento geralmente é selado por um beijo, felicidade transborda aos corações, finalmente o processo de autoexame chamado namoro teoricamente termina e dá espaço a um nível diferente, o noivado. Agora estamos na reta final para um suposto casamento que será ricamente abençoado por Deus.

Ah, espera, estou esquecendo um pequeno detalhe, literalmente pequeno.

Continuar lendo

A Pressa é Inimiga da Conversão

Um fato contemporâneo amplamente divulgado em diversas redes sociais de adventistas, é que vemos cada vez mais pastores, missionários, obreiros, evangelistas, entre outros do gênero, disputarem praticamente no tapa o batismo de pessoas para as suas respectivas igrejas. Alguns postam ‘selfies’ mostrando auditórios lotados de “ovelhas que voltaram ao redil”, outros postam vídeos desses mesmos fiéis, falando em uníssono, que “são de Jesus”, e ninguém tasca. Recentemente, testemunhei alguns pastores, cantores “oficiais” da igreja (seja lá o que isso for) comemorarem mais de 40 batismos em determinada localidade. “Aham, Cláudia. Senta lá…”. Vamos com calma. Continuar lendo

Argumentos a favor da ordenação de pastoras

Depois de vários comentários que chegaram ao último texto sobre o assunto, decidi fazer um texto que explicasse e comentasse dúvidas e argumentos a favor da ordenação de pastoras. Se você não viu a parte 1, clique aqui

Alguns esclarecimentos prévios:

  1. Pensei que tivesse ficado claro que o ponto da ordenação feminina a ser discutido fosse no quesito pastoral, tanto é que foi delimitado o assunto quando se mencionou “Eis o principal argumento que vejo contra a ordenação feminina ao pastorado”. As imagens também foram escolhidas para esclarecer isso. Se ainda persiste alguma dúvida, esclareço agora que minha intenção no título foi dizer que a ordenação de pastoras não tem apoio bíblico, não fui contra ordenar mulheres que atuem na atmosfera que a Igreja adventista já considera e que tem respaldo Bíblico (diaconisas, por exemplo).
  2. Nós não postaremos comentários desrespeitosos que chegarem para nossa moderação, se o comentário foi respeitoso, ainda que discordante do artigo, ele será postado.
  3. Nós temos ciência de que o voto na Conferência Geral vai levar a possibilidade de que cada divisão decida se ordenará pastoras ou não, mas o pano de fundo da discussão é de teor exegético, cultural, teológico e com certeza envolve permitir ou não que pastoras sejam ordenadas (o fato de a China ou a Divisão Norte Americana já ordenar pastoras não quer dizer que a IASD mundial as reconhecesse oficialmente).
  4. A repercussão do artigo foi boa ao ponto de que talvez em breve tenhamos uma parte III.

Continuar lendo

Entenda por que a ordenação feminina não é bíblica

Ordenar ou não ordená-las? Eis a questão. Parece até estranho pensar que um ponto que deveria ser potencializador da Igreja (a saber, o assunto sobre liderança espiritual) tem sido divisor em alto nível. Dessa vez, no entanto, o título desse artigo não é uma pergunta reflexiva ou pegadinha, acreditamos que o compromisso da IASD é para com a Bíblia, por isso, vamos dar um megafone para ela dar sua opinião em alto e bom tom, uma vez que o precioso livro tem sido muito negligenciado no debate.

Essa será a primeira parte do artigo, nada melhor que uma boa e velha explanação da Bíblia, a segunda parte analisará os argumentos a favor da ordenação feminina. Afinal, “Se você tiver a coragem de perguntar a Bíblia terá a coragem de responder.”

Apesar de muitos debatedores desse assunto dizerem que não existem evidências bíblicas para ter uma posição firme, esperamos que ao final desse estudo, se você estiver nesse grupo, o leitor tenha uma visão mais ampla e, quem sabe, mude de ideia.

Continuar lendo

Adoradores… de verdade

Adoração tem se tornado um tema muito polêmico.

Aliás, polêmico, controverso e, muitas vezes, evitado talvez sejam adjetivos mais abrangentes para caracterizar esse assunto. Mas isso não deveria ser uma grande surpresa para os adventistas, pois sabe-se que a adoração encontra-se no centro do grande conflito pelo qual passamos. O que torna-se surpreendente, pelo menos para mim, é que tal conceito tenha sido tão relativizado entre nosso povo, e até banalizado por alguns.

Para uns, adoração é bater palmas, levantar as mãos (em oração para alcançar o trono e lá lá lá, #QuemLêEntenda), expressar fisionomias  de choro ou de dor, repetir várias e várias vezes a mesma frase, pular (transe!?), etc. Para outros, adorar é apenas ir à igreja no Sábado pela manhã, entregar os dízimos (ofertas pra quê né!?), participar de todo o ritual litúrgico, e pronto! Não precisa fazer mais nada. No entanto, o que faz haver essa grande diferença de ideias é que, para a grande maioria, o que importa mesmo são o coração e a sinceridade do adorador, logo, formas e formalidade são dispensáveis e relativas.

Mas, será que deveria ser mesmo assim? Será que apenas a sinceridade do coração humano basta como senso de certo e errado no quesito adoração?
Continuar lendo

Sábado e Templo- Tempo e Espaço de Deus

Você já viu alguns irmãos vendendo CDs no estacionamento da Igreja? Já ouviu irmãos durante o sábado conversando sobre futebol quando deveriam estar no JA? Já viu jovens comentando sobre filmes no Pequeno Grupo de sexta (antes, durante ou depois da programação)? Já se perguntou se o sábado a tarde foi feito para tirar aqueles 5 S? (Santa soneca safa do santo sábado). Eu já.

Continuar lendo